Fonte: OpenWeather

    Violência


    Ataques do CV cessam em Manaus, mas seguem pelo interior do Amazonas

    Com ações das forças de segurança, Manaus vive 24 horas sem ataques. Porém, CV volta os olhos ao interior do Amazonas

     

    Com aumento das ações de segurança, Manaus ainda não registra nenhum ataque, até o momento. No interior, o "bicho pega".
    Com aumento das ações de segurança, Manaus ainda não registra nenhum ataque, até o momento. No interior, o "bicho pega". | Foto: Semcom

    MANAUS - Nas últimas 48h Manaus viveu um clima de terror ocasionado pelos ataques do Comando Vermelho (CV), motivados pela morte do traficante conhecido como "Dadinho", que liderava o tráfico em uma das zonas da cidade e era considerado um dos conselheiros da facção. No entanto, com o aumento do policiamento na capital, através da mobilização das forças de segurança, nenhum ataque foi registrado desde a segunda-feira (7). 

    Foram mais de 40 barreiras de fiscalização montadas pela polícia  em toda a cidade para abordagens e vistorias de veículos, incluído na Ponte Jornalista Phelippe Daou, a Ponte Rio Negro. Até o momento, foram 33 prisões efetuadas. 

    Presos envolvidos


    A Polícia Civil também conseguiu prender dois indivíduos que estavam envolvidos no incêndio de dois veículos que estavam estacionados no pátio do 13º Distrito Integrado de Polícia (DIP), situado no bairro Cidade de Deus, zona norte de Manaus. O crime ocorreu na noite do último domingo (6). 

    Incêndio 


    O último registro de incêndio criminoso foi há mais de 24 horas, por volta das 8h17 de segunda-feira, no bairro da Compensa, Zona Oeste de Manaus. Nesta terça, os bombeiros atenderam uma ocorrência de incêndio em uma motocicleta na avenida das Torres, por volta das 9h15,  porém o sinistro não teve relação com crimes, de acordo com o Centro de Operações Bombeiro Militar (Cobom).

    Venda em Galões


    Para conter as ações de incêndios em prédios públicos, coletivos, viaturas e carros de passeio, uma das estratégias adotadas foi a proibição da venda de combustíveis nos galões, em postos de combustíveis, devido a maior parte dos suspeitos dos ataques estarem de posse do material. 

    Incêndio em viaturas em Caapiranga | Autor: Divulgação
     


    Já o interior 'Pega fogo'

    O mesmo não se pode dizer do interior do Estado, que sofre uma série de deficiências históricas em vários quesitos, incluindo a segurança pública. No município de Caapiranga, distante 185 km de Manaus, não é diferente. 

    De acordo com um relatório de ocorrência da policia local, por volta de 00h15, enquanto a equipe policial de serviço fazia patrulhamento a pé pela cidade, criminosos atearam fogo em duas viaturas que estavam no pátio do 32º Distrito Integrado de Polícia (DIP), que não sofreu danos. 

    Durante o ataque, um detento conseguiu fugir da unidade policial e outro ficou ferido. Testemunhas informaram à policia que os autores do incêndio chegaram em grupo pelo rio, jogaram combustível nos veículos e atearam fogo. Moradores que presenciaram o ataque relataram que os autores desse ato criminoso estavam encapuzados

    Violência no Careiro Castanho

    Estragos também foram deixados em uma escola municipal da zona rural de Careiro Castanho, município distante 124 quilômetros da capital. A unidade educacional que em um assentamento em que vivem 251 famílias, no quilometro 115 da BR-319,  foi incendiada por criminosos na madrugada desta terça-feira (8).

    Vídeos gravados pelos próprios moradores mostram os estragos causados ​​pelos vândalos. Computadores e livros da biblioteca foram queimados. A polícia esteve no local, mas ninguém foi preso até agora.

    Força Nacional 

    Para reforçar a segurança pública no Estado, o Governador Wilson Lima, ainda na noite do último domingo (6),  formalizou o pedido de apoio ao Ministério da Justiça e Segurança Pública para o envio de tropas da Força Nacional de Segurança (FNSP).

    Nesta terça-feira (8), uma portaria publicada no Diário Oficial da União autorizou o emprego da FNSP.

    Os militares atuarão em atividades e serviços da ordem pública por 30 dias, a contar da data de publicação do documento. No entanto, o Governo do Amazonas precisará dispor da infraestrutura necessária à Força Nacional. 

    Leia mais

    Força Nacional começa a atuar nesta terça-feira (8) no Amazonas

    Linha do tempo: veja como o CV abalou Manaus em dois dias

    Saiba o que pode acontecer com a chegada da Força Nacional em Manaus