Fonte: OpenWeather

    Curiosidades


    Tamanho do pé está relacionado ao comprimento do pênis? Descubra sobre

    Veja se a crença popular está correta quando o assunto é o tamanho do "instrumento"

     

    Saiba mais sobre o assunto
    Saiba mais sobre o assunto | Foto: Reprodução

    Há um mito relacionado aos homens que estudos científicos deitam por terra. A crença popular aponta que a primeiro coisa que a mulher deve olhar é para quanto o rapaz calça. Quanto maior o formato dos pés, maior o órgão sexual. 

    Estudos científicos apontam que é mentira que o tamanho dos pés possa estar relacionado com o do pênis. Esta questão foi abordada por alguns especialistas de todo o Mundo.

    De acordo com Claudio Teloken, professor de urologia da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, no Brasil, "a suposta relação entre o tamanho do pénis e o das mãos dos pés é um mito".

    Na revelação, feita à revista Abril, o docente explica ainda que "às vezes, um indivíduo com mãos pequenas tem o pénis até maior do que a média".

    Outro estudo realizado pelo urologista Nam Cheol Park, na Universidade Nacional de Busan, na Coreia do Sul, analisou a anatomia de 655 homens com idades superiores a 17 anos. Durante a pesquisa, os investigadores registaram medidas de várias partes do corpo dos homens em estudo.

    As conclusões mostraram que "o tamanho das extremidades do corpo não é suficiente para prever o tamanho do órgão sexual", afirmou o investigador. Haviam outras especulações, uma delas era se o comprimento do pênis interferia no desempenho sexual, o que não é verdade. A ação na cama está relacionada a diversos fatores. 

    Outra teoria conspirava para os homens. O fato de um homem ter muitos pelos não está diretamente relacionado com o tamanho do órgão sexual, mesmo que, alegadamente, este esteja associado a doses consideráveis de testosterona. Outro mito que cai por terra. 

    Brasil na frente

    O tamanho do órgão sexual também tem a ver com etnias e não com nacionalidade como muitos pensam. Em 1994, a Teloken mediu 150 brasileiros e a média de ereção era de 14,5. Foi constatado que os brasileiros possuem os órgãos reprodutores maiores que os britânicos. 

    Não está provado que os africanos possuem os maiores e nem que os orientais tenham os menores. Esta seria mais um imaginário coletivo. 

    Cuidados na pandemia 

    Em pesquisa publicada no periódico World Journal of Men’s Health, especialistas da Universidade de Miami, nos Estados Unidos, mostram que partículas do Sars-CoV-2 podem permanecer no tecido do pênis mesmo após a recuperação do paciente e, assim, contribuir para a disfunção erétil.

    Resultado da infecção do coronavírus, esse quadro pode atingir, por exemplo, o pênis. Nas investigações iniciais, os médicos analisaram o tecido peniano de dois homens com histórico de Covid-19 (um que havia sido hospitalizado há seis meses e outro que teve apenas sintomas leves há oito meses) e dois que não foram infectados pelo vírus. Todos os quatro passaram pela mesma cirurgia de implante de prótese para casos graves de disfunção erétil.

    Leia mais:

    Caso raro: bebê nasce com três pênis e caso paralisa web

    Homens injetam creme para aumentar pênis e acabam internados na França