Fonte: OpenWeather

    Reciclagem


    Amazonas recolhe quase 20 mil toneladas de pneus velhos

    O Amazonas está entre os que tiveram maior volume de pneus coletados no país

    | Foto: Photographer: Marcio Bruno

    MANAUS - De janeiro a dezembro de 2020, a Reciclanip – entidade criada em parceria com as fabricantes de pneus da Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (ANIP), coletou e destinou de forma ambientalmente correta mais de 380 mil toneladas do resíduo sólido em todo o país, quantia equivalente a 42,2 milhões de unidades de pneus de carros de passeio.

    Apenas em 2020, a indústria nacional de pneus investiu mais de R$ 68,6 milhões com o Programa de Logística Reversa de pneus inservíveis que atendeu 720 municípios durante o ano.

    O Amazonas está entre os que tiveram maior volume de pneus coletados no país, com três municípios atendidos no último ano.  

    “A Reciclanip é a única entidade do Brasil que coleta pneus inservíveis em todas as regiões do país de ponta a ponta, o que mostra a dimensão do nosso trabalho e a responsabilidade ambiental do setor com o país. Mesmo durante a pandemia continuamos a operar de forma segura atendendo o nosso objetivo de manter um país mais sustentável.” afirma Klaus Curt Müller, presidente executivo do Sistema ANIP/Reciclanip.

    Conforme a Política Nacional de Resíduos Sólidos, os pontos de coleta são de responsabilidade dos comerciantes e distribuidores. Devido à ausência destes no sistema de logística reversa, os pontos de coleta foram criados em parceria entre a Reciclanip com as prefeituras, que por sua vez cedem os terrenos, dentro de normas específicas de segurança e higiene, para receber os pneus inservíveis vindos de origens diversas. O responsável pelo Ponto de Coleta solicita a Reciclanip, por meio de aplicativo, sobre a necessidade de retirada do material quando este atinge a quantidade de 2.000 pneus de passeio ou 300 pneus de caminhões. A partir daí, a Reciclanip programa a retirada do montante com os transportadores conveniados. Os consumidores podem se informar sobre onde levar os pneus inservíveis consultando a lista com todos os pontos de coleta que está no site www.reciclanip.com.br

    O que fazer com o pneu velho?

    É muito importante que o consumidor tenha consciência e não leve pneus velhos para casa. Ao comprar um pneu novo, o indicado é deixar seu pneu inservível na loja, que tomará as providências necessárias para que o material chegue até um ponto de coleta. Os pneus inservíveis descartados de forma incorreta contribuem para o agravamento das condições ambientais e de saúde nas cidades, e, se queimados de forma errada, geram poluição atmosférica”, diz Curt.

    Desde o início do programa, em 1999, já foram destinadas mais de 5,6 milhões de toneladas. E desde 2010, ano do primeiro relatório de logística reversa de pneus do IBAMA, a Reciclanip vem ultrapassando sua meta de recolhimento em mais de 100%, tendo superado a meta deste período em 112,9 milhões de quilos (KG).

    O Brasil registra um passivo ambiental de 332 milhões de quilos (Kg) de pneus inservíveis cuja responsabilidade é dos importadores, que não atingem a meta em sua totalidade.

    Economia circular e o Ciclo do Pneu

    A economia circular é um sistema que busca o uso mais eficiente dos recursos naturais ampliando a competitividade da indústria ao substituir o conceito de “fim de vida” de um produto por um modelo regenerativo, que abre novas possibilidades de reutilização, reciclagem e recuperação da produção mantendo seus níveis de utilidade e valor ao longo do tempo. Além disso, a economia circular estimula novas maneiras sustentáveis de exploração dos recursos e o processamento e a produção de bens e serviços.

    Na Reciclanip, o ciclo de vida de um pneu se insere nesse modelo. Após a coleta, que acontece em pontos destinados pelas prefeituras de mais de mil municípios, os pneus inservíveis são destinados às empresas trituradoras, que por sua vez são reutilizados e traduzidos em diversos benefícios para a sociedade, entre eles a indústria cimenteira, artefatos de borracha, como tapetes para automóveis, pisos industriais e pisos para quadras poliesportivas. Além disso, também são utilizados na fabricação de percintas (indústrias moveleiras), solas de calçados, dutos de águas pluviais e siderurgia. Todas estas destinações são aprovadas pelo IBAMA como destinações ambientalmente adequadas.

    *Com informações da assessoria

    Leia Mais

    Evento em Manaus recolhe materiais recicláveis e transforma em renda