Fonte: OpenWeather

    Enchente


    Pandemia e cheia causam dor de cabeça para trabalhadores do Centro

    Trabalhadores do comércio na rua dos Barés veem movimento cair e vendedores de passagens de barcos passam a mesma situação com viagens canceladas

     

    Na rua dos Barés, bairro Centro, Zona Sul da capital, amargam a queda das vendas no comércio, devido cheia e pandemia
    Na rua dos Barés, bairro Centro, Zona Sul da capital, amargam a queda das vendas no comércio, devido cheia e pandemia | Foto: José Ayrton

    MANAUS  - O cenário de pandemia e as chuvas acima da média que atingiram o Amazonas, no início do ano, provocando a cheia no Rio Negro e as alagações em Manaus, tem dado dor de cabeça aos comerciantes do bairro Centro, Zona Sul da cidade.

    Na rua dos Barés, por exemplo, onde trabalhadores passavam dificuldades, mesmo necessárias, por conta das medidas de segurança contra o novo coronavírus, agora, foi a vez da invasão da água tirar a paz dos comerciantes. Na avenida Manaus Moderna, quem vive da venda de passagens de barco também luta pela sobrevivência. O EM TEMPO foi ao local, saber como eles têm enfrentado o problema.  

    Queda nas vendas

     

     Elson Freitas, comerciante, fala das dificuldades na rua dos Barés
    Elson Freitas, comerciante, fala das dificuldades na rua dos Barés | Foto: Carlos Araújo

    De acordo com Elson Freitas, 40, comerciante, os trabalhadores têm contabilizado, na rua dos Barés, a queda nas vendas. “Tem caído, porque temos dificuldades de trafegar por aqui, agora. No meu comércio, estamos nos preparando com um aumento do número de mercadorias. Caso a água chegue a entrar aqui, não queremos sentir tanto as perdas”, afirma.

    Ainda de acordo com Elson, o mau cheiro da água é outro incômodo e que tem espantando os clientes da área, além do próprio medo da pandemia.

    “Isso está prejudicando. Uma das ações que poderiam ser tomadas é jogar algum produto nesta água como um cloro, para eliminar o cheiro e matar focos de mosquito. Devido à enchente, os ratos, por exemplo, não têm para onde correr e invadem os estabelecimentos”, disse.

     


     

    Janilce Silva, autônoma, concorda que os problemas têm sido enormes com a invasão da água na rua dos Barés
    Janilce Silva, autônoma, concorda que os problemas têm sido enormes com a invasão da água na rua dos Barés | Foto: Carlos Araújo

    Janilce Silva, 28, autônoma, concorda com o comerciante em relação à trafegabilidade na rua dos Barés.

    “Está complicado. Eu mesma quase não consigo carregar algumas compras. Não tem espaço e temos medo até de tropeçar na calçada e cair na água”, fala.

     

    Dificuldades de trafegabilidade na rua dos Barés, Centro da capital, é um dos problemas causados pela alagação
    Dificuldades de trafegabilidade na rua dos Barés, Centro da capital, é um dos problemas causados pela alagação | Foto: José Ayrton

     

    Na tentativa de fugir da água, ratos invadem pontos comerciais
    Na tentativa de fugir da água, ratos invadem pontos comerciais | Foto: José Ayrton

    Viagens canceladas

    Na avenida Manaus Moderna, os vendedores de passagens do transporte aquaviário também enfrentam a queda nas vendas, principalmente, pela pandemia.

     

    Elaine Campos, vende passagens de barco e diz que amarga a queda nas vendas
    Elaine Campos, vende passagens de barco e diz que amarga a queda nas vendas | Foto: Carlos Araújo

    Elaine Campos, 42, trabalha no local há 20 anos. Segundo ela, não só por causa das medidas restritivas contra a Covid -19, mas pelo medo das pessoas de viajar que as vendas caíram.


    “Estamos todos nos protegendo. Porém, estamos receosos. Tem as medidas restritivas, só que o pessoal prefere não viajar neste momento. Isso gerou, aqui também, uma queda nas vendas das passagens de barco. Para nós, nem tanto a cheia. Foi o corona. Infelizmente, não está dando mais nem para comprar o famoso 'jaraquizinho”, desabafa.

     

     

     Raifran Mesquita, que trabalha com frete, viu o número clientes cair
    Raifran Mesquita, que trabalha com frete, viu o número clientes cair | Foto: Carlos Araújo

    Da mesma opinião, Raifran Mesquita, 36, que trabalha com frete, viu o número de clientes cair.

    “Quando a pessoa desiste de viajar, não temos o que carregar. A única coisa que melhorou foi que ficou mais fácil de carregar bagagens, porque muitos barcos estão atracados aqui nas escadarias devido à cheia. Só que a Covid-19 deu uma quebrada na gente”, disse.

    Motivos variados

    Na avaliação do presidente da Associação das Agências de Passagens do Transporte Aquaviário do Estado do Amazonas (AGEPTRAM), Altair Ribeiro, existe uma soma de fatores.

    “Se o cidadão tem medo e, com justa razão, ele não viaja. Se não viaja, caem as vendas. Até as vendas de produtos caem, porque se compram mantimentos para levar, até aqui no Centro, mesmo. São motivos variados. No começo da pandemia procuramos tomar todas as medidas de segurança e vamos continuar, mas os prejuízos são enormes ao bolso de quem vive das vendas de passagens de barco. Fora as alagações de algumas ruas, que prejudicam nossos colegas do comércio. Quando não é a Covid é a cheia”, explica.

     

    Presidente da Associação das Agências de Passagens do Transporte Aquaviário do Estado do Amazonas (AGEPTRAM), Altair Ribeiro
    Presidente da Associação das Agências de Passagens do Transporte Aquaviário do Estado do Amazonas (AGEPTRAM), Altair Ribeiro | Foto: Carlos Araújo

    Prefeitura toma providências

    Para amenizar a situação dos estabelecimentos comerciais na rua dos Barés, a Prefeitura de Manaus realizou uma visita técnica, no domingo (2), com o intuito de avaliar as condições do lugar e providenciar material para a construção de pontes na área.

    A partir da próxima segunda-feira (10), o poder público municipal pretende tomar uma série de medidas, além das já estabelecidas na “Operação Cheia 2021”, para avançar no atendimento de vários bairros da capital e zona ribeirinhas, devido uma previsão de cheia do Rio Negro de 30 metros, feita pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM), na última sexta-feira (30). 

     

    No último domingo (02/05), técnicos da Prefeitura de Manaus visitaram a rua dos Barés com objetivo de traçar uma estratégia para ajudar os comerciantes
    No último domingo (02/05), técnicos da Prefeitura de Manaus visitaram a rua dos Barés com objetivo de traçar uma estratégia para ajudar os comerciantes | Foto: Divulgação

     

    Material para a construção de pontes, feitas pela Prefeitura de Manaus, começa a chegar na rua dos Barés
    Material para a construção de pontes, feitas pela Prefeitura de Manaus, começa a chegar na rua dos Barés | Foto: Carlos Araújo

    Acompanhe as lives da equipe de reportagem do portal Em Tempo na rua dos Barés e orla da Manaus Moderna, Centro da capital: 

    Leia mais: 

    Manaus conta com comitê de enfrentamento à cheia do rio Negro

    Centro de Manaus vai receber ações para amenizar prejuízos da cheia

    Moradores da orla de Manaus são castigados pela cheia do Rio Negro