Fonte: OpenWeather

    Alerta do oncologista


    Apesar de raro, homens devem ficar atentos ao câncer de mama

    Um a cada 100 homens é diagnosticado com câncer de mama

    Homens devem estar atentos para a saúde
    Homens devem estar atentos para a saúde | Foto: Reprodução

    Manaus - Apesar de raro, um caso para cada cem, o câncer de mama masculino exige dos homens conscientização sobre a importância de ficar alerta aos sinais da doença tanto quanto as mulheres. 

    Atualmente, a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), unidade da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), atende a um paciente do sexo masculino diagnosticado com câncer de mama.

    O diretor da FCecon, médico oncologista Gerson Mourão, explica que o câncer de mama atinge homens por causa da presença de tecido mamário por trás do mamilo, mesmo não sendo na mesma quantidade encontrada nas mulheres.

    “O câncer de mama existe no homem também porque o homem tem um pouquinho de tecido mamário, só que não é espalhado como é na mama feminina. Essa quantidade mínima de tecido que ele tem fica atrás do bico do peito. É ali que o câncer vai se desenvolver”, explica o médico.

    Gerson Mourão orienta que, por conta disso, é importante que os homens fiquem atentos para qualquer alteração nessa região do corpo. O médico ressalta ainda que a outra principal característica do câncer de mama masculino é a de acometer homens mais na faixa etária dos 60 anos.

    De acordo com o oncologista, a terapêutica do câncer em homens é idêntica à das mulheres. “O tratamento é o mesmo: é cirúrgico, como é na mulher, e depois faz uma complementação com radioterapia e quimioterapia, dependendo do estágio da doença”, explicou. 

    O pedreiro Cleudemir Rodrigues da Silva, de 56 anos, descobriu a doença após sofrer uma queda no trabalho. No acidente, ele lesionou o quadril, o que o levou a procurar atendimento médico.

    Cleudemir teve câncer de mama
    Cleudemir teve câncer de mama | Foto: Rodrigo Santos/SES-AM

    No atendimento, o médico que o atendeu percebeu um nódulo na mama direita dele, conta Cleudemir. Encaminhado para a FCecon, a suspeita se confirmou.

    “O médico disse que era câncer de mama. Eu fiquei olhando para o médico (sem entender direito). Aí o médico disse: ‘Não se preocupe, vamos fazer a cirurgia para retirar esse negócio do senhor’”, relembra Cleudemir.

    O pedreiro se recupera com fisioterapia
    O pedreiro se recupera com fisioterapia | Foto: Rodrigo Santos/SES-AM

    A cirurgia para a retirada do nódulo foi realizada em fevereiro deste ano e, atualmente, Cleudemir faz sessões de fisioterapia para se preparar para outras fases do tratamento.

    *Com informações da assessoria

    Leia mais:

    Fametro realiza live sobre câncer de mama

    Pandemia reduz exames de mama no SUS em 62%, diz pesquisa