Fonte: OpenWeather

    Vasectomia


    Vasectomia: entenda mais sobre o procedimento

    Método vem sendo realizado cada vez mais por homens ao redor do mundo, mas dúvidas ainda existem e necessitam de atenção

    Por ser uma cirurgia de caráter definitivo, muitos se questionam se é possível realizar a reversão | Foto: Reprodução/Internet

    Manaus – A vasectomia é um método contraceptivo eficiente e seguro, que ocorre por meio de um procedimento simples, feito com anestesia local. Geralmente é realizado por homens com filhos ou sem planos em gerá-los no futuro. Por ser uma cirurgia de caráter definitivo, muitos se questionam se é possível realizar a reversão. Especialista responde e explica melhor o método.

    Membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), Dr. Henrique Rodrigues, explica que a cirurgia consiste em cortar e ligar os ductos deferentes - dois pequenos tubos que saem de cada um dos testículos e por onde passam os espermatozoides no momento da ejaculação.

    Muitos acreditam que o procedimento pode interferir no prazer sexual masculino e também na produção de testosterona, no entanto, o urologista esclarece que ambas as afirmações dizem respeito a mitos.

    ‘’O volume de espermatozoides corresponde apenas a cerca de 1% do volume do sêmen, então o homem continua ejaculando normalmente depois de passar pelo processo. Além disso, a cirurgia também não altera a produção do hormônio masculino, nem causa qualquer alteração na libido’’, classifica Rodrigues.

    No Brasil, estima-se que quase 35 mil procedimentos sejam feitos todos os anos. Contudo, desse valor, de 2% a 6% decidem desfazer a vasectomia. Nesse sentindo, mesmo sendo uma cirurgia de caráter definitivo, é possível realizar a reversão em homens que mudaram de ideia e decidiram ter filhos depois.

    Para reverter a vasectomia, é necessário reconectar as duas partes dos canais deferentes que foram separadas. Uma pequena incisão (de 3 a 5cm) é feita no saco escrotal e as pontas dos canais deferentes são identificadas e suturadas. O processo de sutura é feito e, depois disso, o saco escrotal é costurado novamente.

    Para reverter a vasectomia, é necessário reconectar as duas partes dos canais deferentes que foram separadas
    Para reverter a vasectomia, é necessário reconectar as duas partes dos canais deferentes que foram separadas | Foto: Reprodução/Internet

    Segundo o urologista, as taxas de sucesso da reversão da vasectomia são difíceis de serem avaliadas, porque há uma grande variação de um centro para o outro. ‘’Em média, a literatura médica reporta uma taxa de patência entre 80 e 90% e uma taxa de gravidez de 30% a 40%. A variação leva em conta aqueles fatores como tempo decorrido entre a vasectomia e sua reversão e a idade da parceira’’, finaliza.

    No SUS

    O Sistema Único de Saúde (SUS) tem ações para facilitar o acesso do homem ao procedimento e a possibilidade de fazer a cirurgia em ambulatório médico, sem necessidade de internação. O procedimento faz parte da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem.

    Caso tenha tomado a decisão de fazer a vasectomia, o SUS só permite que essa cirurgia seja realizada em homens com mais de 25 anos ou que tenham, no mínimo, dois filhos.

    O primeiro passo é procurar uma unidade básica de saúde para fazer um levantamento geral da saúde do homem que deseja fazer a vasectomia. Após essa avaliação, o médico encaminha o paciente para um especialista que dará todas as orientações e fará a cirurgia.