Fonte: OpenWeather

    Cultura


    Teatro Amazonas: visita guiada pela casa da arte em Manaus

    Confira as curiosidades dessa imponente construção inspirada na arquitetura europeia em Manaus, obra prima da Época Áurea da Borracha no Amazonas

    Guia Thiago Rodrigo conta a história do Teatro Amazonas em um passeio guiado a convite do EMTEMPO | Autor: Em Tempo

    Manaus - Imponente no Centro da capital amazonense, o Teatro Amazonas ganhou novos horários e dias para visitas guiadas, a partir de janeiro. De segunda a segunda, o visitante pode conhecer os 121 anos de história do cartão postal de Manaus, em pouco mais de 45 minutos de passeio pelos quatro andares da obra, construída com inspiração na arquitetura europeia. A visita custa R$ 20 e R$ 10 meia-entrada. Pessoas nascidas no Amazonas, crianças de até 10 anos e portadores de deficiência não pagam.

    As visitas guiadas acontecem sempre entre 9h e17h, de terça à sábado, e de 9h às 14h aos domingos e segundas-feiras. Para quem não mora em Manaus ou ainda anda meio resistente em visitar essa nossa preciosidade, deixamos aqui o convite para nos acompanhar, a seguir, num passeio guiado, produzido especialmente para os leitores do EM TEMPO. 

    Pano de boca, no salão de espetáculos, foi pintado pelo artista Crispim do Amaral
    Pano de boca, no salão de espetáculos, foi pintado pelo artista Crispim do Amaral | Foto: Márcio Azevedo


    Térreo

    Do lado de fora, na Praça São Sebastião, o rosa das paredes centenárias e o colorido da cúpula chamam a atenção de quem passa pelo local. Subindo as escadarias em direção ao Teatro, nos deparamos com uma charrete do século passado. Em seguida, surge a porta de entrada que nos leva ao hall principal. À direita, a bilheteria e um café para um lanche rápido; à esquerda uma loja de artesanatos regionais, completam o ambiente.

    No térreo o visitante também pode encontrar uma pequena exposição de objetos históricos do Teatro, como algumas peças da cúpula, placas indicativas de assentos e até um órgão de tubo que foi usado no passado.

    É nesse ponto que nos encontramos com os guias. O nosso foi o Thiago Rodrigo, que apresenta a história do Teatro, começando pela construção até o salão de espetáculos.

    Guia Thiago Rodrigo conta a história do Teatro Amazonas em um passeio guiado a convite do EMTEMPO | Autor: Em Tempo

    1º Andar

    Subindo para o primeiro andar encontramos três exposições e o belo salão nobre concebido pelo italiano Domenico De Angelis. Mas antes de chegarmos lá, recomendamos tirar um tempo para apreciar as maquetes do espetáculo da ópera “Anel de Nibelungo”, apresentado no Festival de Ópera de 2005. Essa é uma das exposições deste andar. No espaço também temos televisores com imagens de diversas edições do Festival Amazonas de Ópera.

    No andar também temos alguns instrumentos utilizados na época da inauguração, como um contrabaixo, o violino e o tímpano, além do refletor original utilizado na apresentação de inauguração do Teatro.

    Pintura do teto do Salão Nobre é obra do italiano Domenico de Angelis e representa a 'Glorificação das Artes na Amazônia'
    Pintura do teto do Salão Nobre é obra do italiano Domenico de Angelis e representa a 'Glorificação das Artes na Amazônia' | Foto: Márcio Azevedo

    Para os amantes de Lego, neste pavimento também fica a maquete com 30 mil peças doada pela empresa dinamarquesa em 2001. O interessante dessa maquete é a cor. Ela foi construída com as cores cinza, coloração que predominou no Teatro no período da ditadura militar.

    O passeio nesse andar termina com a curiosa história de racismo aos músicos que tocavam no salão nobre, como você pode observar no vídeo a seguir.

    Guia conta a história de preconceito entre os barões da borracha e os músicos | Autor: Em Tempo

    O Salão Nobre é o único espaço do Teatro que não foi decorado pelo artista pernambucano Crispim do Amaral. Ele foi concebido pelo Italiano De Angelis, que além das pinturas da parede, das colunas e do piso, foi o responsável pela obra de arte afixada no teto do salão em 1899, chamada de “Glorificação das Artes na Amazônia”. A pintura tem a mesma técnica do quadro da Monalisa, onde o olhar da personagem acompanha o visitante de onde quer que ele olhe.

    "

    Aleijão, monstruosidade, papagaio "

    Jornal O Estado do Amazonas, critica a construção da Cúpula do Teatro


    2º e 3º Andar

    No andar seguinte encontramos as primeiras cadeiras utilizadas em todos os setores do Teatro. Elas são as mesmas desde 1896, com uma única diferença: o forramento trançado de palha vindo da índia foi substituído, na reforma de 1974, por um veludo vermelho que permanece até a atualidade.

    Já no 3º andar nos deparamos com quatro bustos em bronze dos célebres compositores brasileiros José de Alencar, Carlos Gomes, Cláudio Santoro e Villa Lobos, além de figurinos usados em óperas apresentadas entre os anos de 2012 e 2014, e as sapatilhas autografadas pelos bailarinos russo Mikhail Baryshnikov, espanhola Ana Laguna e britânica Margot Fonteyn, após suas apresentações em Manaus.

    Camarim foi montado com a ideia de levar o visitante a 1896
    Camarim foi montado com a ideia de levar o visitante a 1896 | Foto: Márcio Azevedo

    Camarins

    No último pavimento, o 4º, a única exposição liberada para o turista é a do camarim que retrata a forma luxuosa que as artistas da época era recebidas no Teatro. O ambiente escuro e cheio de peças cenográficas nos levam ao passado, aos idos de 1896, quando o Teatro Amazonas foi inaugurado.

    Depois dessa última exposição o melhor a se fazer é tirar um tempo para apenas apreciar o local. E você pode fazer isso sentado em uma das frisas do 4º andar, onde a vista geral do salão de espetáculos é uma das melhores. 

    Se o visitante der sorte, pode conseguir um bônus das histórias do Teatro com o funcionário mais antigo do local, o seu Raimundo Nonato Pereira do Nascimento, que tem histórias como a do vídeo a seguir.

    Raimundo Nonato é o funcionário mais antigo do Teatro Amazonas e tem muitas histórias que nos contou | Autor: Em Tempo

    Para quem já fez o passeio, a sensação de voltar no tempo é inevitável. Por isso fica o convite do EMTEMPO para você aproveitar essas férias e ir conhecer nosso belo e magnífico Teatro Amazonas.

    Em visita pelo Teatro Amazonas, moradores de Manaus e turistas alemães se impressionam com o local | Autor: Em Tempo

    Curiosidades sobre o Teatro Amazonas

    Guia conta a história de preconceito entre os barões da borracha e os músicos | Autor: Em Tempo
    Raimundo Nonato é o funcionário mais antigo do Teatro Amazonas e tem muitas histórias que nos contou | Autor: Em Tempo
    Em visita pelo Teatro Amazonas, moradores de Manaus e turistas alemães se impressionam com o local | Autor: Em Tempo