Fonte: OpenWeather

    Moda e superação


    Estilista amazonense surdo sonha em viver das criações

    Marcos Pontes quebra paradigmas e sonha com as passarelas nacionais e internacionais

    Marcos Pontes quer ser o primeiro estilista surdo reconhecido internacionalmente
    Marcos Pontes quer ser o primeiro estilista surdo reconhecido internacionalmente | Foto: Leonardo Mota

    Manaus- Passarelas, desfiles, modelos, alta costura são alguns dos elementos que fazem parte da vida dos estilistas. Conheça a história de Marcos Pontes, estilista amazonense fora do comum. Talentoso, não usa a deficiência auditiva como barreira para conquistar o sonho no mundo da moda.

    O começo do sonho

    A funcionária pública Marilene Pontes, contou com emoção que Marcos é o primeiro filho e descobriu que ele tinha deficiência auditiva com dois anos de idade. Na família existiam alguns casos, mas muito distantes da sua realidade.

    "Quando descobri que meu filho não ouvia eu fiquei assustada no começo por não saber o que fazer. Ao completar cinco anos, Marcos passou a estudar leitura labial e assim fomos nos adaptando", diz.

    Marcos Pontes nasceu prematuro e com muito esforço lutou para sobreviver. Aos oito anos de idade precisou fazer uma intervenção cirúrgica na cidade de São Paulo.

    "Meu filho sempre foi muito bem disciplinado, aprendia rápido as coisas. Estudou durante muito tempo em escola normal com amigos ouvintes e como aprendeu a leitura labial não tinha muitos problemas, conseguia acompanhar. Marcos nunca deu desculpas para não estudar", relembra.

    Estilo com inspiração internacional faz parte de todas as obras do estilista
    Estilo com inspiração internacional faz parte de todas as obras do estilista | Foto: Leonardo Mota

    Marilene conta que percebeu desde os seis anos o gosto do filho pelo desenho e principalmente pela moda.

    "Os trabalhos de escola do Marcos eram todos caprichados. Era um dom, sempre percebi esse talento nele. Autodidata, todos os modelos que eu vejo nas criações vem do dom que ele mesmo diz que tem e eu acredito que é muito visível", conta.

    Marcos tem 35 anos e desde os 29 anos desenha modelos femininos. Cada pasta existem pelo menos mais de dois mil modelos desenhados, diferentes em cores, texturas, tecidos, comprimentos e tendências para todas as estações.

    Marilene é a grande incentivadora de Marcos
    Marilene é a grande incentivadora de Marcos | Foto: Leonardo Mota

     

    Marcos é esforçado, fica horas desenhando os modelitos e dependendo da inspiração saem cinco modelos diferentes. O sonho do designer é viajar e trabalhar com moda em São Paulo, mas o sonho maior é ir para Nova York.  Com a parceria da Secretaria de Estado dos direitos da pessoa com deficiência (Seped) ganhou uma máquina de costura e hoje faz o curso corte e costura no Dom Pedro, no Ateliê Silva Lobato.

    Marcos tem talento que ultrapassa a barreira do preconceito
    Marcos tem talento que ultrapassa a barreira do preconceito | Foto: Leonardo Mota

    A mãe Marilene relembra que os esmaltes sumiam e ficava furiosa sem saber quem havia pego ou onde estavam e descobriu quando Marcos tinha 19 anos que ele usava os esmaltes para suas pinturas.

    "Quando eu senti o cheiro de esmalte pela casa eu sabia que era o Marcos desenhando as roupas", relembra Marilene
    "Quando eu senti o cheiro de esmalte pela casa eu sabia que era o Marcos desenhando as roupas", relembra Marilene | Foto: Leonardo Mota

    Marcos respondeu às perguntas com a ajuda do intérprete em libras da Secretaria de Estado dos direitos da pessoa com deficiência (Seped), Rick Pierre:

    Marcos conta sobre inspiração e quantas horas passa desenhando os modelos de roupas femininas
    Marcos conta sobre inspiração e quantas horas passa desenhando os modelos de roupas femininas | Foto: Leonardo Mota

    Em Tempo: Marcos, qual o seu sonho atualmente como profissional da moda?

    Marcos Pontes: "Eu tenho muita vontade se ser autêntico e ter minha própria identidade. Eu quero muito trabalhar com moda, é importante para mim. Eu quero ser um estilista conhecido nacional e internacionalmente". 

    Em Tempo: Percebi que a maioria dos seu desenhos são voltados para o público feminino. Ele são os seus preferidos?

    Marcos Pontes: "É muito difícil ter acesso a cursos que sejam específicos para a moda masculina. Pra mim é especial trabalhar com o público feminino, é algo que eu gosto. O meu foco é ser um profissional de moda, independente de produção para o público masculino ou feminino".

    O sonho de Marcos é morar em São Paulo mas sonha em conhecer Nova York
    O sonho de Marcos é morar em São Paulo mas sonha em conhecer Nova York | Foto: Leonardo Mota

    Em Tempo: Você criou vários desenhos e percebi que todos estão datados. Deve levar muito tempo para criar todos. Você passa quanto tempo em média desenhando?

    Marcos Pontes: "Antes quando eu era criança passava horas desenhando, mas não tinha muita aptidão. Passei a aprimorar todos eles, mas todos com foco na moda, tive professores que me ajudaram. Às vezes fico horas a fio desenhando, entro pela madrugada. Eu tenho o sonho de ser o maior estilista do Brasil, o primeiro surdo profissional de moda. Não me sinto bem em ver os surdos sofrendo preconceito. Todos são capazes e somos profissionais."

    Todos os desenhos do estilista vão desde modelos mais simples até a alta costura
    Todos os desenhos do estilista vão desde modelos mais simples até a alta costura | Foto: Leonardo Mota

    Em Tempo: Você deve ter alguém em especial para se inspirar no mundo da moda, quem seria?

    Marcos Pontes: "Ana Hickman é minha inspiração. Aquela mulher como modelo e apresentadora me inspira. Ela já me respondeu nas redes sociais e viu o meu trabalho, ali foi o dia mais feliz da minha vida".

    Em tempo: O que você diria para os surdos e pessoas que tem algum tipo de deficiência?

    Marcos Pontes: "Uma mensagem que eu deixo para quem é surdo como eu é a seguinte: você é capaz e pode ser o que quiser. Ter foco é importante  para não desistir. As leis estão aí para nos amparar. Assim como eu tenho muita força de vontade e posso dizer: sou surdo, mas sou capaz sim. Tenho o meu valor como profissional, eu não me sinto oprimido. Às vezes a falta de comunicação atrapalha, mas eu não posso parar, vou me ajustando e em busca do meu sonho".

    Marcos se considera alguém com dom para o ramo da moda
    Marcos se considera alguém com dom para o ramo da moda | Foto: Leonardo Mota

    Em tempo: Quando assiste a outros desfiles o que você pensa?

    Marcos Pontes: "Gosto de assistir desfiles e me emociono todas as vezes que vejo e não consigo segurar. Vejo as roupas de outras estilistas e sonho em ver meus vestidos nas passarelas nacionais e internacionais".

    Saiba mais

    Segundo a Seped são pelo menos 155 mil pessoas que possuem algum tipo de deficiência auditiva no estado do Amazonas e na secretaria são 1 mil pessoas cadastradas.

    Em 2002 a lei 10.436 determinou que a Libras fosse reconhecida como a segunda língua oficial brasileira.

    O surdo é aquele que tem perda total da audição, já o deficiente auditivo tem uma parte da perda da audição. 

    O termo que se utiliza é "língua de sinais" e não "linguagem de sinais", pois língua é uma espécie de código, assim como as posições de mãos que o surdo usa na libras.

    O termo surdo-mudo não pode ser utilizado, porque embora há dificuldade na fala, os surdos podem e são capazes de produzir sons, portanto não podem ser tratados como mudos.

    Leia mais

    Receba as principais notícias do Portal Em Tempo direto no Whatsapp. Clique aqui!:

    Acessibilidade é o caminho para o turismo adaptado no AM

    Manauara surdo é confirmado por Seleção brasileira para disputar Copa

    TCE promove curso de libras em Manaus