Fonte: OpenWeather

    Madagascar


    Mão de turista desaparecido é encontrada em barriga de tubarão

    O homem de 44 anos foi visto pela última vez mergulhando na ilha francesa Reunião

    As praias na costa oeste da ilha estavam bem sinalizadas | Foto: Divulgação

    Suspeita-se que um turista escocês tenha morrido em um ataque de tubarão. A suspeita surgiu depois que sua mão, com anel de casamento, foi encontrada dentro do animal.

    O homem de 44 anos foi visto pela última vez mergulhando na ilha francesa Reunião, perto de Madagascar, no fim de semana. Ataques de tubarão são mais raros do que muitos pensam; saiba como minimizar os riscos

    Por que os tubarões atacam humanos?

    Acredita-se que ele estivesse passando férias de uma semana com sua esposa em Saint-Gilles. Sua mão, identificada pelo anel de casamento, foi encontrada dentro de um tubarão-tigre que foi capturado para fins de pesquisa.

    O morador local Erick Quelquejeu disse à "BBC Escócia que o homem deixou sua esposa por apenas "alguns minutos" para nadar.

    Quelquejeu disse que a área tem "uma passagem muito pequena que abre para o oceano, mas na verdade é muito bem protegida por um recife".

    "A esposa estava realmente assustada com o que aconteceu. Muitos helicópteros, muitos aviões, nadadores e barcos foram tentar encontrar o sujeito no oceano, mas não conseguiram encontrá-lo. Aparentemente, eles encontraram um tubarão há alguns dias com a mão, então não temos certeza de como isso aconteceu", acrescentou.

    Ainda segundo Quelquejeu, as praias na costa oeste da ilha estavam bem sinalizadas, alertando as pessoas contra nadar por lá por causa de ataques anteriores de tubarões. Também houve avisos nos aeroportos.

    "Acontecem muitos ataques de tubarão na ilha Reunião, mas estamos bastante conscientes disso agora", acrescentou.

    "É algo que não escondemos de ninguém. Em todos os lugares da ilha onde não se pode nadar, onde não há um recife natural, há placas em frente à praia para avisar. Mesmo assim, há alguns barcos que percorrem a área oeste da ilha, onde estão todas as praias, para protegê-las, para observar se alguém comete esse erro (de nadar)."