Fonte: OpenWeather

    Revolta


    Homem é vítima de racismo em shopping de Manaus: 'tinha que ser preto'

    O vídeo mostra o momento em que a vítima se defende após ter sido ofendida. O fato viralizou e gerou revolta na internet

    Veja o momento das ofensas | Autor: Reprodução
     

    Manaus - Chamou atenção nas redes sociais um caso de racismo, entre uma mulher branca e um cliente negro, ocorrido dentro de um shopping na Zona Centro-Sul de Manaus, na noite de quinta-feira (13).

    O vídeo mostra o momento em que a vítima se defende após ter sido ofendida. A gravação viralizou e gerou revolta na internet. 

    Conforme testemunhas, o episódio teria ocorrido após o homem, que estava acompanhado da família, ter esbarrado na mulher. Ela não gostou e hostilizou a vítima : 'tinha que ser preto!", teria declarado a acusada. 

    Injuriado, o cliente tenta diálogo com a mulher e reage à ofensa que teria recebido.

    "Esse país aqui é meu também. Qual o problema? Tá na Suíça? Racista! Quem é você? Tinha que ser preto por quê? Palhaça, tá no país errado!", se defende o homem. 

    Um segurança do shopping ainda tentou acalmar os ânimos dos envolvidos. A gravação mostra, ainda, quando mulher entrar em uma loja para tentar se afastar da vítima.

    Veja vídeo 

    Veja o momento das ofensas | Autor: Reprodução
     

    Repercussão 

    Após ter sido compartilhado em uma página no Instagram, o vídeo do caso ganhou repercussão.

    "É branca, teve a oportunidade de fugir. Se fosse um negro fazendo algo errado ou até mesmo não, o segurança iria imobilizar na hora", comentou uma internauta. 

    "Deviam ter chamado a polícia, racismo é crime", disse outra usuária da rede social. 

    Posicionamento 

    Por meio de nota, o centro de compras  informou que vai colaborar com as autoridades, fornecendo vídeos e demais informações que possam vir a ser solicitados.

    "A equipe de segurança que acompanhou parte do episódio se colocou à disposição para auxílio no registro da ocorrência", diz o comunicado.

    O shopping reiterou e reforçou que não compactua com qualquer ato de discriminação, preconceito e agressão. Ressaltou, ainda, que preza por um ambiente de diversidade, acolhedor e boa convivência entre todos que o visitam.

    Leia mais

    Manaus registra sete casos de racismo nos primeiros meses de 2020

    Zagueiro espanhol não é punido após Neymar o acusar de racismo

    Psicóloga é humilhada por vender churrasco, mas dá a melhor resposta