Fonte: OpenWeather

    Desaparecimento


    No AM, pai busca por filhos e alega que a ex não cumpriu ação judicial

    Publicações nas redes sociais expõem os dois lados da briga pela guarda das crianças

    Waldemar Cavalcante Bisneto, de 8 anos, e Angelina Nascimento Cavalcante, de 4 anos | Foto: Reprodução

    Manaus – Duas crianças são consideradas desaparecidas após a mãe descumprir mandado judicial sobre a guarda compartilhada. Por meio das redes sociais, o pai Emmerson Rodrigues divulga fotos e o último paradeiro de Waldemar Cavalcante Bisneto, de 8 anos, e Angelina Nascimento Cavalcante, de 4 anos. Os dois foram vistos pela última vez em companhia da mãe, Catarina Barros, nas proximidades do bairro Tarumã, Zona Oeste de Manaus.

    A publicação no Facebook surgiu após Emmerson divulgar, em uma página de pessoas desaparecidas, a identificação das crianças. A alegação paterna expõe a briga judicial entre o ex-casal, sobre a guarda das crianças.

    “O acordo, que foi feito no juizado, seria que as crianças passariam as férias com a mãe, em Manaus, e voltariam em janeiro para estudar em Itacoatiara. Quando chegou a data de retorno, a Catarina disse que não iria devolver os filhos a ele. Por isso, o pai conseguiu o mandado, pois ela está descumprindo um acordo” explicou Tamires Rodrigues, irmã de Emmerson.

    Segundo Tamires, a mãe estaria com a posse das crianças desde novembro, quando os pequenos vieram passar as férias do período escolar. Ela ainda informa que a mãe não atende as ligações telefônicas e apenas visualiza mensagens no WhatsApp. “Ela disse que não devolveria os filhos ao meu irmão”, completa.

    Outro lado

    Familiares e parentes de Catarina Barros se manifestam nas redes em favor da mãe, alegando que Emmerson agredia a ex-mulher na frente dos filhos e que o divórcio veio de maneira litigiosa, ou seja, quando o casal discorda sobre uma ou mais questões sobre a separação, como, por exemplo, a guarda de filhos.

    “Minha irmã se separou do sujeito [Emmerson] por estar em um relacionamento abusivo, por sofrer agressões - que até os filhos presenciaram. Não adianta virem dizer que ela abandonou os filhos, pois a mesma não iria viver com eles numa situação como essas”, afirma Priscila Barros, irmã de Catarina.

    Além disso, na publicação, Priscila alega que Emmerson não possui condições de cuidar, alimentar e manter as crianças no colégio particular, onde estudam, em Itacoatiara. “A Catarina teve informações com a própria companheira de Emmerson, que alegou que o mesmo não tinha condições de alimentá-los", declarou. 

    As conversas printadas entre familiares e a atual esposa de Emmerson.
    As conversas printadas entre familiares e a atual esposa de Emmerson. | Foto: Reprodução

    Ainda segundo prints de Priscila, divulgado em suas redes sociais. O ex-casal possui uma audiência marcada para o dia 20 de março de 2019, que deve decidir o destino das crianças. Além de conversas, em que a atual esposa de Emmerson e parentes afirmam que o pai não tem condições de comprar coisas básicas, fardamento escolar e que prefere comprar jogos eletrônicos.

    Veja a publicação:

      

    O processo da guarda das crianças segue em segredo de Justiça. Entretanto, quem souber da localização do casal de irmãos podem ligar para os telefones: (92) 99408-3719 (Emmerson - pai) / 99342-3695 (Fabiane) / 99385-3222.